29 de jan de 2008

DEUS ME LIVRE!

A discussão é velha: ensinar ou não ensinar religião nas escolas? Bem, desde que houve a separação entre Estado e Religião, parece que a dúvida estava resolvida. No entanto...Os símbolos religiosos estão presentes por toda parte do poder público. Meu jesus cristo! Não há Fórum, Gabinete ou Delegacia, sem a presença de Deus, coitadinho, que é chamado a toda hora. E precisa se jurar pela Bíblia. Agora, foi a vez de Marina Silva, nossa ministra do Meio Ambiente, palpitar. Resolveu dar uma palestra sobre Meio Ambiente e Criacionismo, pois é evangélica. Até onde eu sei, não tenho nada contra, muito menos vou proibir a ministra – quem sou eu! – de palestrar sobre o que quiser, onde quiser. Mas... Resolveu dizer que tanto o darwinismo quanto o design inteligente deveriam ser ensinados na escola, para que as crianças tivessem a liberdade de “escolher”. Nada inteligente. O design inteligente, por mais que seus defensores neguem, É religião. E religião e estado não se misturam. Pelo menos, não deveriam. Quanto a teoria da evolução, concordo, tem uma grande falha: será que o ser humano REALMENTE evoluiu? Ao ver o que nossos ministros dizem, fico mesmo em dúvida. E valha-me deus.

24 de jan de 2008

GREVE! E a conta sobra para nós.

A justiça brasileira, não é novidade, anda a passos de tartaruga. Leis de mais, brechas para apelações mil. Para resolver o problema, mais e mais advogados. Abundam, literalmente, faculdades de Direito – e o Ministério da Educação não teve outra saída: acaba de cancelar mais de 6 mil vagas em diversos cursos esparramados pelo país. O mesmo número de vagas criadas em 2007. Estes doutos senhores, que deveriam agilizar o sistema, deixam mofando nas celas mais de 120 mil pessoas, presas provisoriamente, ou seja, aguardam julgamento. Precisam de advogados e defensores públicos. Onde estão? Em greve, porque querem receber mais. Começam por volta de R$ 5 mil e vão progredindo até cerca de R$ 20 mil. Coitadinhos. Isto significa 50 vezes mais do que ganha um assalariado. Mas não se preocupem. O governo já disse que vai exigir pagamento de multa das entidades envolvidas na greve. Como a entidade envolvida é o próprio governo, sustentando pelo meu, o seu, o nosso dinheiro, além de sofrer com a greve, ainda vamos pagar por ela.

19 de jan de 2008

E olha o apagão de novo

Pena que não dá para olhar. Fica tudo escuro. Parece que o governo não sabia que o consumo de energia ia crescer junto com o crescimento da economia. Também não imaginou que, com o calor, os reservatórios de água baixariam. Foram pegos de surpresa com o aumento do uso de ventiladores e ar condicionados – afinal, quem precisa deles para espantar 40º? Estas informações não circulam na hora do cafezinho, lá no Congresso e, por isso, não puderam tomar nenhuma medida. Faltou dizer –Se não tem ventilador, que usem leques! As boas notícias: com o apagão estaremos livres do BBB (acho que é Big B... ), no seu retorno triunfal com as baixarias, bebedeiras e os “comentários” dos que assistem o programa. A “deretoria” insiste que é cultura: novamente um negro (politicamente correto); um gay a proclamar que “sua família é civilizada”. Não entendi bem a associação, alguém me explica? Outros discursos altamente instrutivos rolaram na piscina: o futuro de cada um, após o término do programa e como manter os 15 minutos de fama. Que venha o apagão!

11 de jan de 2008

ADORO LUDOPÉDIO

Ok, ôpa! Quero dizer, tudo bem. A lei já está aí, falta passar pelo senado. Proíbe o uso de estrangeirismos no português, para preservar a cultura brasileira. Claro que a língua é a expressão de um povo. Mas alguém pode me explicar por que este mesmo povo não pode se apropriar de expressões de outros povos? Quero ver quem vai convencer a torcida do Flamengo a abandonar o futebol que é, obviamente, um estrangeirismo e adotar o ludopédio. Está certo que cobrir as vitrines com “sale” e off é um pouco demais e, afinal, pagamos em míseros reais e não em dólares. Talvez as compras fiquem mais chiques, ops, mais glamurosas, ops, também não pode ser... Uma vantagem: o caos aéreo diminuirá, já que não vamos mais fazer check in. Agora, e o meu drink? Meu club soda? É phoda.

9 de jan de 2008

MENOS COM MAIS

Com o fim da CPMF, ora, quem diria, iremos pagar MAIS e receber MENOS! Deu para entender a mágica? Não? Que tal ler um pouco de Kafka? Ocorre o seguinte: como não tem CPMF, o governo já disse que vai fazer um monte de cortes em todas as áreas. Ah, ia esquecendo, é verdade que a CPMF foi feita só para por ordem na bagunça da saúde, mas... Era usada para tapar tudo quanto era buraco (menos os das estradas...). Bom, feitos os cortes... O governo ficou feliz? Que nada! Aumentou o IOF, que é o imposto de operações financeiras, aquele que é cobrado cada vez que o fulano parcela a compra de seus móveis, refrigerador e fogão, dentre outros “supérfluos” em trocentas vezes. Numa simulação, as parcelas vão ficar mais caras sem a CPMF do que com CPMF. Ou seja, a gente era feliz e não sabia.

PS: E o ministro Mantega, no dia 4, disse que nenhum imposto seria aumentado. Acho que o nariz dele cresceu um pouquinho mais.

4 de jan de 2008

HOSPITAL NA UTI

Tem uma coisa prá lá de certa: é bom escolher a data e o horário para ficar doente e precisar de uma emergência no Brasil. Virada de plantão? Nem pensar! Final de ano? Bate na madeira e isola. O pior: as queixas pelos atrasos emais atrasos nos horários das consultas. Também: cada paciente (e haja paciência!) é marcado com 15 minutos de intervalo para o outro. E entrar, dizer bom dia, seu "dotô" pegar a receita e sair correndo... E o pior de tudo: do incêndio no Hospital das Clínicas, nem se houve falar mais. O livro sobre os "desmandos" que lá ocorriam? Sim, o Estação Clínicas? Ainda não consegui comprar. Será que a edição se queimou junto com o incêndio no dito cujo? Enquanto isto, as farmácias continuam pagando comissão para os médicos... E o juramento de Hipócrates virou hipocrisia.