9 de mar de 2008

Questao de beleza


O poetinha já pedia desculpa às feias, alegando que beleza era fundamental. E para isso é que serve a poupança - mesmo que seja dos outros. Marina Piau Ferreira levou o dito ao pé da letra. Afinal, decidiu ser bela entre as feras. Servidora do Ibama, como o salário era insuficiente para dar aquele trato geral, usual nas dondocas que servem botox no almoço e no jantar, com direito à pedicure e chapinha, ela não vacilou: atacou os cofres públicos para defender sua própria pele. Desmatou as pernas e outros que tais, enterrando R$ 836 mil entre recauchutagem e gastos diversos, conforme o Ministério Público. Ela nega, dizendo que foi bem menos. Como a cotação das lipos ainda não faz parte da Bolsa de Valores, aguardemos. Por enquanto, Marina continua desfilando sua beleza pelas ruas de Goiás – e nós continuamos pagando impostos para extinguir sua celulite. Só a roubalheira não entra em extinção, nem precisa do Ibama para fazer a defesa.