25 de fev de 2008

(des) educando

Vida boa mesmo é de professor. Tem direito a caviar, champagne, mercedez com motorista, computadores de última geração. Claro que a mercedez com motorista é o ônibus mesmo, meu amigo. A champagne, uma cidra que fermentou além da conta. O caviar, alguma coisa que “cá, vi... era puro ar!” Mas é bom ser professor. O salário, então, beleza pura: na média, para o ensino fundamental – aquele básico, que vai definir todo o rumo e futuro da criança e do país – gira em torno de 600 reais. Isso mesmo, a fabulosa, fantástica, quantia de 600 reais. Menos do que o Reitor da Unb, Magnífico Dr. Professor Timothy Mulholland gastou com uma lixeira: foi a bagatela de mil reais. Para ser exato, 912 reais. Comprou 3, por que o lixo que produz é muito. Total dos mimos decorativos para o seu apartamento funcional: 470 mil ou 350, dependendo da versão. Fiquemos com a mais baixa, e ainda vamos arredondar: que seja 300 mil! Pagos como? Claro, com o cartão corporativo, cuja conta vai para o seu, o meu, o nosso bolso. E a educação? Deve estar na lata do lixo, que dúvida.