15 de fev de 2008

O velho (novo) oeste

Quem não lembra, nos filmes de faroeste, os cartazes de “Procura-se”, anunciando recompensa para quem desse pistas quentes? Pois o tempo das diligencias está de volta. Advogado paulista, com a casa assaltada – roubaram celular e 600 reais – ofereceu recompensa de 10 mil para quem der pistas sobre a quadrilha de larápios. A polícia compareceu, mas não conseguiu prender os ditos cujos. Motivo? Ora, eles também possuíam rádio e na mesma freqüência da corporação. Tão rápido quanto a valorosa guarnição chegou, mais rápido eles se foram. Assim, movidos pelo dinheiro, que tudo atrai, está aberta a fábrica de delações, falsas ou não. O problema é a inflação: o disque denuncia já tinha oferecido recompensa para pistas do atentado contra o delegado, morto no Rio, Alexandre Neto. Era de 2 mil reais. Em 5 meses, de 2 para 10. Façam as contas. Agora, polícia aparelhada e bem treinada, que é bom...